domingo, 24 de agosto de 2008

Faces.


O coração arde em chamas frias
enquanto a alma canta
a melodia dos silenciados.
E em fila indiana seguimos
rumo ao nosso cárcere privado.

Ao vento se esvaem os bons momentos
como a quimera de outrora.
O nefelibatismo perdeu a razão.
Como uma fênix que deixara de renascer.

A alma continua enjaulada
nas barras de ferro da existência.
Um grito, um uivo, uma agonia...
Estilhaços de um cotidiano repressor.

O véu, outrora translúcido,
hoje uma manta negra sob olhos famintos.
Um punhal, uma ruptura, sangue...

Rumo à Libertação.

7 comentários:

Lara disse...

tinha que ter um 'cotidiano' no meio, hein. =]

não tá ruim, não mesmo, mas é que é difícil eu gostar de poesia que não seja consagrada por alguém.

mas é interessante o contraste entre o que você parece ser e o que escreve. =P

quis quid quomodo disse...

Gostei. Principalmente do final<:´) Rumo à libertação

.ratzq. disse...

"O véu, outrora translúcido,
hoje uma manta negra sob olhos famintos."

Muito bom.
É visível que você aperfeiçoou sua escrita, um processo natural e acredito que espontâneo de quem cultua o hábito de escrever.
Algo mudou. E presumo que este algo ainda está em transição, talvez demore, talvez não, mas estou curiosa para ver o resultado desta mudança.

Saudades também irmãzinha x)
obrigada mesmo pelos elogios...
acho que você não chegou a ver em um dos posts. bem. estas últimas que poesias que coloquei são do começo de 2007 e algumas de 2006...
Poderia ser algo do tipo: Nossa, então hoje deves ter passado para um outro nível. Mas a realidade é que eu, raisa, sou a prova viva de q o q eu disse anteriormente, quanto ao processo natural de aprimoramento, é refutável... heh :P
Sério. tanto que criei outro blog, 'beco das desilusões' para narrar o que acontece nos meus dias e tentar me redescobrir nesta arte da escrita :~~
Meu lado augusto dos anjos? Parece que já se despediu de mim, se um dia vai voltar, é um enigma.
Sabe... Eu que pergunto;
Posso caminhar ao teu lado rumo À libertação? x)
te adoro também e repito suas palavras. mesmo distante. nós somos amigas, e isto, não pode e nem vai mudar. nunca. n se depender de mim.
é como família po, você pode ver a cada dois anos, mas continua sendo sua família, você continua gostando do mesmo jeito.
é assim que me sinto em relação a você x) Por isso n me preocupo muito. pq sei que não preciso me preocupar.
;********

Gerson Sena disse...

Sempre eh bom saber q vc influenciou, msm q seja numa palavra. Bom, eu já te falei q eu gostei, a forma como tu escrevesse esse realmente parece um pouco diferente da dos anteriores.
Continue!

Laerte Silvino disse...

Opa Autora, que bom que você gostou dos meus desenhos, você foi uma das poucas pessoas que riram com a HQ, que bom que captou o espirito dela.
Gostei muito dos seus textos.

É sempre bom conhecer gente que acredita na poesia, tanto no fazer quanto no viver.

Seguiremos rumo a libertação.
:*

.ratzq. disse...

saudades ;*

Julia disse...

Essa maquiagem é no teu rosto??? que linda! XD