segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Vacúolo Pulsátil


Minha alma é velha,
Triste,
Tragédia grega que semeia a fatalidade.

Minha alma é surrada,
Maltratada,
Por esta sociedade hipócrita.

Minha alma é podada,
Enquadrada,
Abrigada, obrigatoriamente, no molde do senso comum.

Minha alma a muito tempo
deixou de ser minha.
É do mundo; é do vácuo.

3 comentários:

O Som e o Sentido disse...

juh adorei o teu blog :D
parabéns pelos poemas...saudade viu?
xêro ^^

Anônimo disse...

crazyy! ahuhauauhuahuhauh!!!

Gerson Sena disse...

esse aki eh excelente.
Muito bom msm.